elfos

elfos

Elfos sempre são reconhecidos pela sua beleza, seu porte e sua natureza mágica, como seres da luz e do bem. Mas nem sempre foi assim. Neste artigo, vamos falar um pouco sobre os elfos, desde sua origem até a forma que os conhecemos hoje em dia.

Elfo é uma criatura mística da Mitologia Nórdica, que aparece com freqüência na literatura medieval européia.
Nesta mitologia os elfos chamam-se Alfs ou Alfr, também chamados de “elfos da luz” – Ljosalfr. São descritos como seres belos e luminosos, ou ainda seres semi-divinos, mágicos, semelhantes à imagem literária das fadas ou das ninfas. De fato, a palavra “Sol” na língua nórdica era Alfrothul, ou seja: o Raio Élfico; dizia-se que por isso seus raios seriam fatais a elfos e anões.
Eram divindades menores da natureza e da fertilidade. Os elfos são geralmente mostrados como jovens de grande beleza vivendo entre as florestas, sob a terra, em fontes e outros lugares naturais. Foram retratados como seres sensveis, de longa vida ou imortalidade, com poderes mágicos, estreita ligação com a natureza e geralmente como ótimos arqueiros
Foram os nórdicos que dividiram os elfos em dois tipos diferentes: os elfos da luz (Ljosalfar) e os elfos negros (Dopkalfar). O mito nórdico categorizou, de forma organizada, as raças com seus lares da mesma forma que Tolkien colocaria suas raças na Terra Média. Os Ljosalfar moravam em Alfheim. Os Dopkalfar moravam em Svartalfheim. Os atributos dos Ljosalfar são facilmente reconhecidos pelos leitores modernos: elfos são quase tão altos quanto humanos, belos, fortes, guerreiros ferozes, se sobressaiam nas artes, moravam em locais além da compreensão humana, possuiam sua própria fala distinta e podiam se misturar com humanos e gerar filhos meio-élficos (Korablev). Por outro lado, os Dopkalfar possuem muito em comum com anões e trolls: negros como piche, feios e petrificados pela luz do sol. Esses dois lados dos personagens élficos apareceram em outras culturas como as cortes Seelie e Unseelie.
As qualidades élficas são bastante exploradas na obra de J.R.R.Tolkien. Inclusive o autor resgatou formas há muito inutilizadas da palavra Elf, Elfo em inglês, cujo plural era comumente Elfs. Em sua obra, Tolkien usava a variedade Elves, e a palavra acabou voltando aos dicionários. O mesmo aconteceu com Dwarf,Dwarfs, Dwarves, Anão.
Literalmente, os elfos são gênios que, na mitologia escandinava, simboliza o ar, a terra, o fogo e água.
Seres com estes atributos são proeminentes nos trabalhos de Tolkien, incluindo os trolls que transformam em pedra emo Hobbit. Antes de Tolkien, a descrição mais moderna dos elfos que influenciaria o gênero defantasia foi o romance The King of Elfland’s Daughter, de Lord Dunsany. O romance estabelece que elfos podem ter filhos com humanos (mais relfexos dos meio-elfos), que eles envelhecem mais lentamente do que os mortais, que são seres naturalmente mágicos e que são sobrenaturalmente atraentes. A obra de Dunsany estabeleceu que as elfas, em particular, são amplamente desejadas pelos homens. Se a grande quantidade de elfas seminuas nas artes dos jogos de RPG online (MMORPG) for levada em conta, o desejo pelas elfas continua até hoje.
O desejo pelas elfas e a implicação de que a união entre humanos/elfos inevitavelmente levam aos meio-elfos (ou peredhil, na obra de Tolkien), que eram descendentes de uma linhagem élfica. Exemplos notaveis incluem a princesa dinamarquesa Skuld da saga de Hrólf Kraki, o herói Högni da Thidrekssaga, e a linhagem real de Alfheim da saga Þorsteins Víkingssonar. Aragorn
Nenhuma descrição dos elfos estaria completa sem uma referência às suas orelhas. As orelhas pontudas dos elfos foi tirada de um comentário de Tolkien sobre o termo “las” em As Etmologias (Tolkien 1996:367), no qual ele descreve as orelhas quendian como sendo “mais pontudas e com formato de folhas do que as humanas”. Assim, Legolas significa “Folha Verde” e distingue os elfos dos humanos em uma forma que é facilmente reconhecida pelos leitrores modernos.
Os elfos são também descritos como semideuses associados à fertilidade e ao culto dos ancestrais, como os daimones gregos. Como espíritos, os elfos podem atravessar portas e paredes como se fossem fantasmas, o que acontece nas Norna-Gests þáttr.
A associação com arcos vem de tempos anteriores à Terra Média de Tolkien, de volta até o século 16, com o termo “elf-shot” (”flecha élfica”), uma referência às pontas de flecha feitas de pedra do período Neolítico. Tais pontas de flecha foram associadas com os elfos na Escócia e geralmente poderiam deixar um homem doente simplesmente ao cortá-lo com uma delas (Hall 2005).
Quanto Tolkien colocou os elfos em sua forma atual, a alegoria fantástica já estava bem estabelecida. Mágico e misterioso, capaz de se misturar com os humanos, mas ainda uma raça claramente distinta, de natureza etérea e iluminada, mas um guerreiro capaz quando provocado, o elfo tem seu lugar em qualquer Sociedade como um membro da elite.

Elfo é uma criatura mística da Mitologia Nórdica, que aparece com freqüência na literatura medieval européia.

Nesta mitologia os elfos chamam-se Alfs ou Alfr, também chamados de “elfos da luz” – Ljosalfr. São descritos como seres belos e luminosos, ou ainda seres semi-divinos, mágicos, semelhantes à imagem literária das fadas ou das ninfas. De fato, a palavra “Sol” na língua nórdica era Alfrothul, ou seja: o Raio Élfico; dizia-se que por isso seus raios seriam fatais a elfos e anões.

Drizzt - elfo negro (drow)

Drizzt - elfo negro (drow)

Eram divindades menores da natureza e da fertilidade. Os elfos são geralmente mostrados como jovens de grande beleza vivendo entre as florestas, sob a terra, em fontes e outros lugares naturais. Foram retratados como seres sensveis, de longa vida ou imortalidade, com poderes mágicos, estreita ligação com a natureza e geralmente como ótimos arqueiros

Foram os nórdicos que dividiram os elfos em dois tipos diferentes: os elfos da luz (Ljosalfar) e os elfos negros (Dopkalfar). O mito nórdico categorizou, de forma organizada, as raças com seus lares da mesma forma que Tolkien colocaria suas raças na Terra Média. Os Ljosalfar moravam em Alfheim. Os Dopkalfar moravam em Svartalfheim. Os atributos dos Ljosalfar são facilmente reconhecidos pelos leitores modernos: elfos são quase tão altos quanto humanos, belos, fortes, guerreiros ferozes, se sobressaiam nas artes, moravam em locais além da compreensão humana, possuiam sua própria fala distinta e podiam se misturar com humanos e gerar filhos meio-élficos (Korablev). Por outro lado, os Dopkalfar possuem muito em comum com anões e trolls: negros como piche, feios e petrificados pela luz do sol. Esses dois lados dos personagens élficos apareceram em outras culturas como as cortes Seelie e Unseelie.

As qualidades élficas são bastante exploradas na obra de J.R.R.Tolkien. Inclusive o autor resgatou formas há muito inutilizadas da palavra Elf, Elfo em inglês, cujo plural era comumente Elfs. Em sua obra, Tolkien usava a variedade Elves, e a palavra acabou voltando aos dicionários. O mesmo aconteceu com Dwarf,Dwarfs, Dwarves, Anão.

Literalmente, os elfos são gênios que, na mitologia escandinava, simboliza o ar, a terra, o fogo e água.

Seres com estes atributos são proeminentes nos trabalhos de Tolkien, incluindo os trolls que transformam em pedra emo Hobbit. Antes de Tolkien, a descrição mais moderna dos elfos que influenciaria o gênero defantasia foi o romance The King of Elfland’s Daughter, de Lord Dunsany. O romance estabelece que elfos podem ter filhos com humanos (mais reflexos dos meio-elfos), que eles envelhecem mais lentamente do que os mortais, que são seres naturalmente mágicos e que são sobrenaturalmente atraentes. A obra de Dunsany estabeleceu que as elfas, em particular, são amplamente desejadas pelos homens. Se a grande quantidade de elfas seminuas nas artes dos jogos de RPG online (MMORPG) for levada em conta, o desejo pelas elfas continua até hoje.

Elfa

Elfa

O desejo pelas elfas e a implicação de que a união entre humanos/elfos inevitavelmente levam aos meio-elfos (ou peredhil, na obra de Tolkien), que eram descendentes de uma linhagem élfica. Exemplos notaveis incluem a princesa dinamarquesa Skuld da saga de Hrólf Kraki, o herói Högni da Thidrekssaga, e a linhagem real de Alfheim da saga Þorsteins Víkingssonar. Aragorn

Nenhuma descrição dos elfos estaria completa sem uma referência às suas orelhas. As orelhas pontudas dos elfos foi tirada de um comentário de Tolkien sobre o termo “las” em As Etmologias (Tolkien 1996:367), no qual ele descreve as orelhas quendian como sendo “mais pontudas e com formato de folhas do que as humanas”. Assim, Legolas significa “Folha Verde” e distingue os elfos dos humanos em uma forma que é facilmente reconhecida pelos leitrores modernos.

A associação com arcos vem de tempos anteriores à Terra Média de Tolkien, de volta até o século 16, com o termo “elf-shot” (”flecha élfica”), uma referência às pontas de flecha feitas de pedra do período Neolítico. Tais pontas de flecha foram associadas com os elfos na Escócia e geralmente poderiam deixar um homem doente simplesmente ao cortá-lo com uma delas (Hall 2005).

Quanto Tolkien colocou os elfos em sua forma atual, a alegoria fantástica já estava bem estabelecida. Mágico e misterioso, capaz de se misturar com os humanos, mas ainda uma raça claramente distinta, de natureza etérea e iluminada, mas um guerreiro capaz quando provocado, o elfo tem seu lugar em qualquer Sociedade como um membro da elite.

Fontes: http://www.examiner.com/examiner/x-6911-RPG-Examiner~y2009m7d16-RolePlaying-Games-101-Whats-an-elf http://pt.wikipedia.org/wiki/Elfo