Raça Anão

Raça Anão

“O segredo da forja não está ns metais ou nas ferramentas que utilizamos, mas sim na absoluta sabedoria de que a criação é um fruto que nos deve alimentar, e não envenenar”.

Olá a todos, tenho visto nos rpgs que tenho jogado, tanto no spellfire quanto nos jogos de mesa, as dúvidas sobre as raças são constantes, no spellfire é onde mais o pessoal tem perguntado, até mesmo porque muitos desconhecem as raças e suas origens no rpg. Por isso continuando a idéia de séries de post, aqui vai mais uma: Raças de personagens

Os anões são clássicos no RPG, de estatura baixa vindos da mitologia nórdica, em que segundo lendas, eles são mestres na arte da mineração e das forjas, possuem o dom de fabricar objetos mágicos, armas e jóias e são descritos como criaturas de baixa estatura, aparência carrancuda, porte robusto e longa barba.

Mas o que mais chama a atenção nesta raça é a grande diferença numérica entre os homens e as mulheres, as mulheres nascem em uma taxa de 1/3 comparada aos homens, ou seja, a cada 3nascimentos, 2 são homens e 1 é mulher.

O que acaba criando uma situação um tanto quanto diferente do que estamos acostumados, ao contrário dos humanos, a maioria dos anões preferem manter uma vida sem casamentos e romances, preferindo dedicar-se  as carreiras por eles seguidas, como artesãos, mineradores. E os que se casam são extremamente ciumentos e possessivos, e em virtude a isso dedicam suas vidas à vida da esposa.

Embora não sejam atraentes e tampouco cultivem as mesmas noções de beleza física que os humanos ou os elfos possuem, eles partilham de uma única vaidade, conservar a barba longa e espessa. Tradicionalmente, a raça acredita que a barba sirva como um indício de respeito e admiração.

Anões são os senhores do mundo subterrâneo

Anões são os senhores do mundo subterrâneo

Os anões são extremamente leais, embora desconfiados, por isso demoram em fazer amizades. Mas os poucos amigos que fazem são para a vida inteira e em todos os momentos. Também por esse fato que optam por vidas solteiras, visto que a grande maioria dos herois e lendas dentre eles decorre de criaturas solteiras, já que a vida de casado representa o fim das aventuras.

Os anões são conhecidos pela sua dedicação e foco nos seus objetivos, eles se organizam em clãs, e pouquíssimos estendem seus laços de convivências com criaturas de outras raças. Podem até fazer laços com outras raças mas para um bem maior, por uma motivação que estará acima das suas próprias.

Não existem Anões Magos. Uma estranha resistência natural impede que os Anões desenvolvam aptidões para a Magia, pois sua essência vital impede que os efeitos místicos sejam realizados. É como se possuíssem uma energia astral tão forte que é capaz de drenar a energia do efeito  mágico que o Mago canaliza, reduzindo sua potência (às vezes até anulando-o completamente).

Os cadáveres dos Anões, por alguma razão que jamais se soube explicar, são imunes aos feitiços de animar mortos-vivos. De modo que o seu próprio corpo físico é passivo de mistérios, acreditando-se que talvez atue como um verdadeiro campo de força contra a Magia.

Muitos anões são vingativos e costumam guardar mágoas e insultos por muitos e muitos anos, podendo aproveitar situações impróprias para jogar na cara assuntos e situações que há muito tempo deixaram de ser importantes e relevantes.

Entretanto, os anões possuem um senso de humor bastante peculiar. Sempre que um anão é responsável por salvar a vida de uma criatura de outra raça, sempre haverá um discurso de que se não fosse pelo anão, ninguém seria capaz de salvar a criatura, ou de que o anão simplesmente não acha que o problema que a criatura enfrentava fosse algo tão ruim (por mais horrível que seja a situação, o anão sempre diz que era uma coisinha de nada). Mesmo que a missão do anão envolva matar demônios, destruir uma tribo inteira de orcs ou derrotar o Tarrasque usando apenas um pedaço de pau, o anão sempre irá falar sobre o feito de forma casual, como se não fosse algo simples e corriqueiro.

Quando um anão morre, é uma grande desonra deixá-lo sem ser enterrado. As comunidades dos anões enterram seus mortos em grandes mausoléus de pedra após uma cerimônia de cremação, simbolicamente devolvendo-o à forja de Moradin e à terra, enquanto a sua alma é libertada para ir para os planos exteriores.