Gabrielle Aderre

Personagem Gabrielle Aderre no Spellfire

Quem estava com saudades da sessão “Figuras do Spell”? Ergue a mão ai…

Alguém já ouviu falar dessa mulher no spellfire? Nas mesas de RPG talvez até possam ter confrontado ela, mas quando se fala em spellfire, ela assim como muitos outros, pouca gente sabe que existe.
A série de Ravenloft na verdade em comparação com set’s de outros cenários é um set bem fraco. Se olharmos o contexto do lançamento do set vamos entender o porquê.

Um pouco de história

O set de Ravenloft foi o primeiro set lançado pela TSR em 1994. Como a Wizard já tinha entrado no mercado com o Magic, a TSR teve que lançar seu projeto meio na correria. Acredito então que por isso tenha saído assim um set no geral bem fraquinho, com reinos sem poderes, campeões não condizente com os reais poderes, enfim, para o lançamento foi isso, o bom e “velho deitado” – “só tem tu, vai tu mesmo”. Infelizmente não houve tempo da empresa lançar um booster de chases ou uma outra edição para melhorar o set.
Poderia ter virado um dos sets mais promissores da casa ao meu ver, mas trilhou o caminho contrário, e quase ninguém gosta de jogar com um deck de Ravenloft, salvo uma ou outra carta.

Vamos ao que interessa

Enfim, Gabrielle Aderre para quem não se deu conta ainda, ou realmente não sabe, é a carta de número 93 que compõe o set. No jogo ela é apresentada como uma maga de nível 3. Poderíamos dizer então que era uma maga iniciante, ainda desenvolvendo seus poderes e conhecimento.
Gabrielle Aderre

Personagem Gabrielle Aderre no Spellfire

No spellfire o poder dela, assim como seu nível, é fraco. Digamos então que prevaleceu o bom senso dos criadores em deixar o poder condizente com o nível. Seu poder no jogo é o de quando ela morrer em combate, ela pode olhar a mão do oponente retirar uma carta e colocá-la no final da pilha de saque.Não gosto muito dessas cartas que dão poder para quando o cara perde, já que se tenho campeões para defender meu império quero eles vivos, ou “morto-vivo”.Vamos então pegar a verdadeira história dela dentro do cenário de Ravenloft e ver se prevaleceu ou não o bom senso também na construção da carta desse personagem.Para começar, já vem uma coisa que faltou em Ravenloft, as famosas chases. Para quem tem freqüentado o blog e ainda não se ligou nos termos que usamos no jogo, chases são “cartas extras” que compõe um booster (coleção de cartas de um mesmo cenário). Essas chases logicamente são mais poderosas e raras de se encontrar.No caso da grande maioria dos campeões de Ravenloft não fizeram jus ao seu posto de Lorde Negro de seus domínios. Os grandes Lordes Negros, os seres mais poderosos de um domínio deste cenário, simplesmente foram rebaixados para meros campeões, como no caso de Gabrielle Aderre.

Gabriele Aderre é o Lorde Negro de Invidia, e divide o posto com seu filho. Ela é uma mulher pequena, cabelos e olhos negros, olhos que junto com seu carisma quase hipnotizam os que se colocam na frente dela.Ela é uma mulher de meia idade, mas aparenta ser bem mais jovem não mais do que 25 anos, salvo por uma mecha branca que destaca em seus cabelos. O problema está em seu reflexo, este revela sua verdadeira aparência, por este fato é proibido qualquer espelho perto dela.Gabrielle é descendente de uma Vistana, então se veste como uma, com grandes argolas douradas lhe enfeitando e saias bem coloridas. Ela descende da Madame Eva, a primeira Vistana que surgiu em Ravenloft, porém ela é “meia vistana” visto que seu pai não era, por isso era rejeitada pelos “sangue puro”.Nasceu em Richemulot, por muito tempo ela e sua mãe sobreviveram de esmolas, pequenos furtos, leitura da sorte e outras diversões. Isabella sua mãe, lhe ensinou os feitiços dos Vistani.Gabrielle não chegou a conhecer seu pai, e por muitas vezes indagava a mãe sobre ele. Mas ela só respondia que Gabrielle carregava dentro dela a mesma escuridão do coração maligno do pai. “Você nunca deve ter filho” dizia Isabella à filha. “Um homem, uma criança, um lar – essas coisas você nunca poderá ter, porque o único resultado disso será a tragédia”

Gabrielle Aderre - Ravenloft

Gabrielle no livro Domínios do Medo

Gabrielle então cresceu só e amargurada e culpava a mãe por isso. Quando tinha 19 anos ela descobriu algo sobre o pai, na véspera da morte de sua mãe.
Isabella foi atacada por um lobisomem, Gabrielle se recusou a ajudá-la até que sua mãe falasse sobre o pai. Então Isabella contou que quando jovem foi capturada e vendida como escrava para um monstro sádico e quando finalmente conseguiu escapar, estava grávida de dois meses de Gabrielle.
Completamente atordoada com a declaração da mãe, desfazendo completamente a imagem que tinha do pai, Gabrielle pegou os pertences da mãe, o famoso Baralho de Tarokka de Madame Eva e suas poções e partiu deixando a mãe morrer nas garras dos lobisomens.
Enquanto Gabrielle fugia na escuridão, a voz suplicante de sua mãe foi lentamente substiuída por gritos. Neste momento, as Brumas se fecharam ao redor de Gabrielle e a trouxeram para Invídia, que era regida por um lobisomem chamado Bakholis. Os criados do lobisomem pegaram Gabrielle e a levaram para o Castelo Loupet. Bakholis tentou escravizá-la, mas ela conseguiu enfraquecê-lo com seu Mau-Olhado e cortou a garganta com uma adaga de prata. Com isso Gabrielle se tornou o Lorde Negro de Invídia, presa para sempre no domínio e impedida de procurar o pai.
Os anos se passaram, Gabrielle se acostumou a sua nova moradia e prisão, e se divertia com os homens da cidade, escravizava-os com seu mau olhado e depois dispensava quando se cansava deles. Sempre lembrando das palavras de sua mãe, que somente desgraça viria de um fruto de um relacionamento.
Um dia um estranho viajante apareceu nos portões de seu castelo, Gabrielle não resistiu a seus encantos. Quando o elegante viajante tirou a roupa, ela achou estranho ver um par de asas de morcego se abrir de suas costas. Mas mesmo assim o tomou em seus braços.
“Você se lembrará de mim apenas como o Gentil cavalheiro” disse o demônio logo depois, e então desapareceu.
Nove meses depois, Gabrielle deu a luz a um menino. Confirmando as vagas lembranças da mãe e do “gentil cavalheiro”, Malocchio, seu filho, parecia ser totalmente humano, exceto por um sexto dedo em cada uma das mãos. Apesar de sua aparência angelical logo ficou claro que ele não era normal. O fato mais evidente era que ele crescia extremamente rápido. Quando Gabrielle se recuperou do parto ele já estava caminhando e falando.
As suspeitas de Gabrielle foram despertadas, por isso ela usou o Baralho de Tarokka de Madame Eva para fazer a leitura sobre seu filho, e descobriu que ele era o lendário dukkar (a pessoa destinada a destruir os Vistani). Ela sentiu que pela primeira vez na sua vida, os poderes superiores lhe sorriam. Através de seu filho poderia destruir os odiados Vistani que a rejeitavam.
Malocchio filho de Gabrielle Aderre

Malocchio filho de Gabrielle Aderre

Mas foi Malocchio que usara Gabrielle. Apesar de sua genialidade na manipulação dos outros, ela não era páreo para o intelecto demoníaco de seu filho. Quando ele acabou de “brincar com ela”, Gabrielle era uma mulher despedaçada, presa em sua própria culpa, ressentimento e raiva. Foi somente com a ajuda de seu amante Matton, um lobo metamorfo (talvez o único que amou Gabrielle), que ela conseguiu se recuperar.
Quando o espírito partido foi curado ela havia se transformado em outra pessoa. Antes odiava e temia os metamorfos, mas agora se apaixonara por Matton. No entanto continua astuta, mas agora seus esforços são em destruir o filho, mas ele é protegido pela maldição que foi colocada em Gabrielle quando ela se tornou Lorde Negro. Lembram que neste post http://www.fabiorezende.com.br/?p=8 eu falei que um lorde negro sempre vai ser atormentado e nunca vai conseguir o que mais queria? Pois bem, não foi diferente com Gabrielle, devido a sua obsessão em punir os Vistani, agora ela é incapaz de lhes fazer mal diretamente, e tem suas habilidades reduzidas em afetar alguém que é parcialmente Vistani como sue filho. Porém ela tem feito grandes esforços para conseguir isso indiretamente, tem convocado metamorfos de Kartakass para ajudá-la.
Embora se preocupe em prejudicar o filho, ela também protege seu domínio, quando deseja salvar Invídia, um círculo de terror rodeia o domínio. Ele não é visível nem tangível, mas os personagens que tentam cruzar a fronteira contra a vontade dela , sentem-se tomados de um medo irracional.
Aqui vem a grande diferença dela no cenário Ravenloft e no baralho Ravenloft, no cenário ela é uma feiticeira nível 8. Ela tem todas as habilidades de um meio-Vistani. Possui também o poder do Mau-olhado, que lhe permite fazer qualquer magia da escola Encatamentos/Feitiços que ela saiba de cor usando apenas os olhos. Consegue também usar o Baralho de Tarokka de Madame Eva.
Seria uma chase meio fraquinha… mas seria mais poderosa do que é atualmente, poderia ter também o artefato “baralho de tarokka de madame eva” … mas como o jogo infelizmente parou, vamos ficar só na vontade.

Aquele abraço e até a próxima.