Bahumut

Bahumut

O Dragão de Platina, Rei dos Bons Dragões, Senhor do Vento Norte.
Essas são algumas das maneiras como esse temido dragão é chamado. Quem tem ele no deck ou já teve a infelicidade de enfrentar um deck com o Bahamut em jogo sabe quão forte ele é e como pode ser decisivo pra uma partida.

Bahamut é considerado entre as “categorias das divindidades” como um deus menor, o símbolo usado para ele é uma estrela sobre uma nebulosa láctea. O plano natal dele é o Plano Celéstia.

Possui uma tendência leal e boa, o que faz ele dominar sobre tudo o que é bom, quando isso atinge seus dragões.
Os domínios de sua divindade englobam o Ar, Bem, Sorte e Proteção.

Bahamut no spellfire

Bahamut no spellfire

Bahamut é reverenciado em muitos locais. Apesar de todos os dragões bondosos prestarem homenagem a Bahamut, os dragões de ouro, prata e latão o consideram de modo especial. Outros dragões, mesmo os malignos (exceto talves sua arqui-rival Tiamat), respeitam Bahamut por sua sabedoria e seu poder.

Em sua forma natural, Bahamut é um dragão longo e sinuoso coberto de escamas de um branco prateado, que rebrilham e cintilam mesmo à luz mais fraca. Os olhos de Bahamut, semelhantes aos de um gato, são de um azul profundo, como o céu do solstício de verão, segundo alguns. Outros insistem em que os olhos de Bahamut são de um índigo glacial, como o coração de uma geleira. Talvez as duas coisas meramente reflitam os humores cambiantes do Dragão de Platina.

DOGMA

Bahamut é severo e muito reprovador com o mal. Não admite desculpas para atos malígnos. A despeito disso, está entre os seres mais compassivos do multiverso. Tem empatia ilimitada com os oprimidos, os pobres e os desamparados. Inspira seus seguidores a promoverem a causa do bem, mas prefere deixar os seres travarem suas próprias batalhas quando podem. Para Bahamut, é melhor oferecer informações, cura ou um refúgio seguro (temporário) em vez de tomar sobre si os fardos alheios. Ele é servido por sete grandes anciãos de outro que frequentemente o acompanham.

Clérigos e Templos

Bahamut só aceita clérigos bons. Os clérigos de Bahamut, quer sejam dragões, meio-dragões ou outros seres atraídos pela filosofia da divindade, esforçam-se para realizar ações constantes, mas sutis, em prol dos bons, intervindo onde for necessário, mas tentando causar o mínimo prejuízo durante o processo.

Muitos dragões de ouro, prata e latão mantem santuários simples em honra da Bahamut nos seus covis, normalmente nada mais elaborado que o simbolo de Bahamut gravado na parede.

A principal inimiga de Bahamut é Tiamat, e essa inimizade se reflete nos seus adoradores. seus aliados incluem Heironeous, Moradin, Yondalla e outros deuses leais e bons.

Resumidamente, Bahamut e Tiamat não se bicam, e os dois são de arrasar qualquer deck… então a estratégia é a alma do negócio ;P